sexta-feira, 12 de setembro de 2008

O meu testemunho....Um pouco da minha história...

Este foi o testemunho que consegui escrever para o livro da Manu, Ainda doi muito...

Com 21 anos tive uma menina perfeitinha e cheia de saúde, o meu maior tesouro.
Queríamos ter mais filhos mas fomos adiando esse projecto até termos uma certa estabilidade, com essa estabilidade veio o desejo de voltar a ser Mãe…

Deixei os anticoncepcionais e fui ao médico, análises de despiste papanicolau, tudo ok.
Comecei o ácido fólico em Out. de 2005 sem pressas…
Passou o tempo mas sem “stresses” nem ansiedades (o Marido trabalha por turnos…).

Em Dez de 2006 a minha filha disse-me “Mãe só quero de prenda de Natal um mano ou uma mana”…Fiquei com os olhos rasos de lágrimas, não estava nas minhas mãos, mas também pedi em silêncio esse tão desejado bebé como prenda para a minha família.
O período não apareceu e dia 6 de Janeiro decidi fazer um teste…POSITIVO!!!
Ficamos nas nuvens dançamos, pulamos, fizemos uma festa…

Não imaginava que algo pudesse correr mal, tal era a ignorância…
Tinha uma filha saudável, não havia motivos para pensar em desgraças…
Dissemos a toda a família e amigos, e estupidamente sentia uma segurança, que não me deixava ter medo…

Dia 5 de Março vou ao hospital fazer a TN (a eco que mede a translucência da nuca) mais uma vez sentia que tudo estava bem, e o meu desejo era saber o sexo do bebé…

Mas nessa consulta o meu mundo ruiu o meu bebé estava gravemente doente, iria fazer a amniocentese mas sem qualquer esperança…
O que me foi dito da maneira mais fria, sem rodeios sem compaixão…
Senti o meu coração abrir-se rasgar-se, como podia estar a acontecer aquilo???!!!!

A minha filha fazia anos no dia seguinte, como lhe dizer que aquilo que ela mais queria, o sonho de ter um bebe ia acabar, ia ser terminado sem sequer ter começado???!!!!

Fui para casa de rastos não conseguia respirar a dor sufocava-me e as lágrimas não paravam de correr, a minha dor era tão grande e o desespero de como contar á minha filha era ainda maior…

Quando ela chegou, não aguentei e contei-lhe…
Meu Deus as lágrimas da minha filha ainda doíam mais do que a minha própria dor…

Tive que esperar até ás 16 semanas para fazer a amniocentese e quando ouvi o seu pequenino coração não aguentei, chorei tanto queria que tudo não passasse de um equivoco..
Queria o meu menino…

A médica disse-me: “Não vale a pena fazer o repouso é melhor que aborte o seu bebé não tem hipóteses de sobrevivência…
Mas mesmo assim ele teimava em resistir…
E lá esteve ele dentro do meu ventre até ás 17 semanas e seis dias…


Dia 28 de Março tive “ordem” de internamento para o maior pesadelo da minha vida…
Fui internada num bloco de partos onde os gritos de mulheres ecoavam na minha cabeça e o choro daqueles bebes arrancava as minhas lágrimas constantemente, era desumano era injusto eu devia esperar até Setembro para ter o meu filho nos braços, o pequeno grande Amor…

Fiz o citotec e um soro que deixou as minhas veias como carvões e a minha alma ardida numa fogueira de dor e lágrimas…

Tive muito carinho por parte da equipa médica, mas no meio disso ouvi da boca de uma enfermeira que tinha estudado para trazer vidas aos mundo e não para tirá-las…

Ai tive um ataque de dor, de desespero e disse-lhe…
“Só não me mato com ele porque tenho uma filha com 12 anos em casa, mas acredite que era esse o meu desejo…

Estive internada de domingo a 4ª feira dia em que depois de um sofrimento imenso o meu filho partiu definitivamente deixando um vazio descomunal…

Sofremos muito os três mas decidimos que íamos tentar de novo, por nós e pelo nosso menino que tinha partido cedo demais…

E assim aconteceu, voltei a engravidar em Junho que iria nascer no dia dos anos da mana, que presente, que alegria!!!

Desta vez a ansiedade não me deixou viver a minha gravidez apesar da TN indicar que estaria tudo bem e eu própria sentir-me bem, pensava que tinha sido egoísta da 1ª vez e que não devia sentir-me bem porque não acontecia só aos outros, vivia angustiada e a médica decidiu que não haveria rastreios mas sim uma nova amniocentese…

Mas a vida achou que eu ainda não tinha sofrido o suficiente....•

No dia 7 de Outubro fui acordada de um lindo sonho de amor...
E da pior maneira....
Estava tudo bem com o meu bebé até 5ª feira dia 4 dia em que fui fazer a amniocentese, disseram-me que era um menino e que estava grávida de 18 semanas tal como eu pensava, era outro menino, esse sim cheio de saúde (pelos resultados era perfeito) ficamos radiantes o nosso anjo tinha voltado sob a forma de um novo AMOR…
Fizeram-me as recomendações que eu segui á risca, dentro d possível uma vez que vivo a 50 km do hospital…!

Que felicidade que tão pouco durou!!!
Quando sai do hospital já me doía a barriga pensei que fosse da picada e que fosse normal...
Sábado começaram-me a doer as costas e comecei a sentir contracções pensei mais uma vez que fosse normal tomei o magnésio e tentei descansar mas as dores tornaram-se insuportáveis...

Urgências e uma viagem interminável (1h30m) até ao hospital, o meu marido chorava como uma criança nós sabíamos que algo estava muito mal, mas no fundo do meu coração eu queria acreditar que iriam salvar o meu bebé…
Quando lá cheguei rebentaram as águas e a minha alma...
Eu sabia que aí já não havia nada a fazer...
Um bebé de 18 semanas não tem hipóteses de sobrevivência…

Gritei, discuti com Deus, Ele não podia estar a deixar que passássemos por tudo de novo seis meses depois…

Não tinha forças para olhar de novo para a minha filha, como pode Deus existir e permitir que um ser com 12 anos passe por um sofrimento desses duas vezes???!!!
Não pode!!!! …

Mandaram-me fazer força mas eu não fiz, queria morrer com aquele filho…

Que dor senti no meu coração... Não queria ver ninguém, não queria viver…
Não queria ver as pessoas que mais amo e dizer-lhes…Acabou….Partiu…

Acabei por ir para o bloco, mas acordei a meio da anestesia, nova dose, acordei quando já tudo tinha terminado…

Acordei e não conseguia parar de pensar que a culpa tinha sido minha por não Acreditar que tudo estava bem…

Parece contraditório, mas eu fiz a amniocentese por ter medo de Acreditar e perdi o meu filho, quando iria começar a vivê-lo!!!!

Foi difícil, muito difícil, ouvir a minha filha dizer-me…
“Mãe, eu não te peço mais nenhum mano”!...

Quase perdi todas as forças, as que restavam vinham a custo desse ser tão pequeno mas tão Grande, dessa criatura que me dá forças cujo sorriso me fez reerguer a cabeça e do meu marido que tantas lágrimas partilhou comigo, e transformou a nossa dor em companheirismo num Amor diferente, um Amor dorido mas forte muito forte!!!!

Mas a nossa vida é feita de momentos...
Uns muito dolorosos e outros em que lutamos para que sejam muito bons...

E realizar o nosso sonho de maternidade é uma luta feita de muitas batalhas, perde-se o rumo no meio das lágrimas, da derrota e sentimo-nos sem forças para levantar a cabeça e lutar. Mas quando pensamos que já não vale a pena lutar eis que nos surge a ajuda de anjos que nos levantam quando vacilamos e queremos desistir...

Com essa ajuda, começamos a alimentar essa sementinha que vai germinando nos nossos corações, essa sementinha que dá pelo nome “Desejo de ser Mãe”!!!

Com o passar do tempo a dor tornou-se Esperança e a dor começou a amenizar, muito embora nunca se esqueça até porque nós não queremos esquecer aqueles filhos que tantos desejamos e amamos.

Eu tive muito medo mas assim que ganhei coragem comecei a pensar…
Quero engravidar de novo e lutar por um sonho que é meu e dos que mais amo (o meu marido e a minha filha).
Tive uma conversa com o meu marido e decidimos tentar de novo…


Passados seis meses de tentativas em vão e quando já pensava que algo estava mal…
Começava a pensar que não ovulava, que tinha ficado com sequelas da curetagem…
Todos esses pensamentos invadiam pensamento e o meu coração, por isso decidimos descansar e dar um tempo…

Era mês de Maio era o mês da “Mãe…” Tive uma conversa com ela zanguei-me a sério e pedi-lhe que me desse um sinal do que queria de mim...

E o mês da Mãe foi o meu mês....
Sem contas, sem gráficos sem esperar…
Hoje estou grávida de 18 semanas
Sei que não vai ser fácil a caminhada, aprendi a viver um dia de cada vez...

MAS EU VOU CONSEGUIR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
NUNCA DEIXEM DE ACREDITAR PORQUE OS MILAGRES ACONTECEM!!!!!!


Beijinhos
Lena

3 comentários:

Maria disse...

Lena,
Não consegui segurar as lágrimas ao ler o teu testemunho, como as nossas histórias se tocam...
A tua força e a tua fé são um exemplo, mereces tudo de bom.
Beijinhos grandes

Bruna disse...

Olá Lena!
A tua história é msm comovente...
Fiquei com as lágrimas nos olhos, não posso imaginar o que é essa dor, mas será concerteza a maior dor que pode haver na vida!!!
Um beijinho grande para ti e para as tuas 2 estrelinhas!
Foste uma guerreira, uma lutadora!!!
Parabéns pk conseguiste, venceste!
Bruna

Susana disse...

Olá
Vi o teu link, na partilha de testemunhos no forum pink blue...

Quero dar-te um beijinho e dizer-te que ao ler estas historias é que me dá alento pra voltar a tentar...

Bjs

A nossa familia

Pyzam Family Sticker Toy